sábado, 4 de janeiro de 2014

....

Às festas juntou-se uma outra palavra começada com "f", que não, não é logo essa que vos vem a cabeça, seus porcalhões. Dos onze dias sem trabalhar, só me sobram hoje e amanhã, daí esta neura que me acompanha desde ontem à tarde quando todos os outros rejubilavam de alegria. Estou cansada do meu trabalho,  não só de carregar com o peso dos problemas dos outros, como ainda de ter lidar com má-criações que às vezes parecem que vêm de todo o lado, clientes, colegas, funcionários de repartições públicas. Subitamente, parece que tudo perdeu o juízo e a educação, ou então verifica-se um efeito colateral da austeridade, não estudado nem previsto pelos melhores economistas, que é que as pessoas sem dinheiro começam a ficar bem fodidas com a vida. Não creio mesmo que isto só aconteça comigo, acho que quem seja perspicaz e sensível também já se deva ter apercebido de uma espécie de agressividade latente que anda por aí à solta nas ruas, enclausurada dentro de cada transeunte, e também dá graças a Deus por não termos uma política de aquisição de armas igual à do Estados Unidos. Deixemos a neura global e passemos aos detalhes. Estou à passar um fase mais solitária, uma das minhas melhores amigas emigrou e faz-me falta, porque era exactamente com ela que partilhava as maiores e melhores opiniões. O meu restante grupo, continuo a adorá-los mas reparo, pela primeira vez em muito tempo, numa grande dissemelhança de interesses. Como quando no fim de ano comentei que ia começar  o ciclo do Bergman no Nimas e eles nem ligaram porque "não gostam de filmes antigos", nem de "coisas deprimentes" e puseram-se todos entusiasmados a falar do "Hunger Games". Sem preconceito nenhum, atenção, apenas gostava de ter alguém para falar do "Persona" como eles falam daquilo. Sinto-me sem grande escape de uma realidade chata e cinzenta, como o dia que se afigura hoje.

Olhem, bom ano novo.

3 comentários:

Su disse...

"Estou à passar um fase mais solitária, uma das minhas melhores amigas emigrou e faz-me falta, porque era exactamente com ela que partilhava as maiores e melhores opiniões. O meu restante grupo, continuo a adorá-los mas reparo, pela primeira vez em muito tempo, numa grande dissemelhança de interesses."
Estou exactamente na mesma...
Acho que o melhor é juntarmo-nos para ir ao Nimas.

RBM disse...

Vamos embora Su :)

Su disse...

:)