sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

...

Planos de fim de semana. Jantar fora, beber muito gin tónico, consumir algumas substâncias ilícitas, dançar até o penteado se desfazer todo e a maquilhagem escorrer em pingos pastosos com o suor e lágrimas. Ser corrida do terraço do Lux, que vai fechar. Ir a pé para casa de braço dado e não sentir dor nos pés, distância, algum cansaço só quando pensar. Dormir. Arrumar coisas e transportá-las. Vem aí nova casa e nova vida.

4 comentários:

noiseformind disse...

Quando se muda de casa muda-se de vida? Ou muda-se de vida e depois de casa? A vida de muita gente é ao mesmo tempo tão pequena e tão vazia que uma pessoa serve para a encher. Se eu tivesse só uma pessoa na minha vida isso sim seria uma mudança. E teria de ter uma longa conversa com a psi porque é que teria chegado a esse vazio. :)

Mariam disse...

Viva! Viva!
E estás viva! :-)

RBM disse...

Nem sempre que se muda de casa, se muda de vida, nem o vice-versa. Há casos e casos, que podem ou não estar relacionados com a existência de outra pessoa (na vida, e na casa, ou em ambas).

a mulher certa disse...

Good luck ;)