sexta-feira, 3 de agosto de 2012

...

Ser uma tipa temperamental e de humores variáveis está finalmente a trazer-me alguns benefícios. Um deles, talvez o maior, é que a tolerância para chatos manteve-se à mesma muito baixa mas perdi a delicadeza que outrora tinha e que me impedia de descartá-los como tantas vezes me apetecia. Agora não há triagens de palavras e modos, há um longo caminho de má-educação e despropósito a explorar. Hoje no supermercado dei conta que um tipo andava a perseguir-me pelos corredores. Quando eu apercebi-me daquilo e pus-me a olhar para ele com a aquela cara que diz claramente "o que é que foi oh tarado?!", ele ria-se, claramente a achar-se o Paul Newman no seu melhor e eu fiquei logo bastante afectada dos nervos. Estava eu na zona dos produtos frescos quando ele decide meter conversa e para quebrar o gelo escolhe a seguinte frase, num brasileiro enrolado:

«Então, estás escolhendo um queijo para comer? Para um lanchinho talvez».

Noutra altura teria ignorado. Hoje tive de responder "Não, não estou a escolher um queijo para comer, estou a escolher um queijo para limpar o rabo, como é óbvio".

Enfim em paz.