terça-feira, 3 de julho de 2012

Acordar

A negação tem aquele período querido em que, além de aceitável, é um estado necessário para a manutenção de todo o tipo de funcionalidade. Tomar banho, pentear, comer, sorrir, vá respirar. Mas passado esse tempo, estar - ou melhor, permanecer - em negação acaba por ser só estúpido. De aceitável passa a ridículo, de mecanismo útil passa a inibidor. Valha-nos então as drogas.

1 comentário:

Anónimo disse...

Quanto à negação... sem dúvida que é precisa. Quanto às drogas, ... não. O verão está aí. O mar há de ajudar.