sexta-feira, 8 de junho de 2012

...

Sempre que tomo a decisão de fazer tudo que seja necessário para o esquecer, ele sem saber e sem querer, faz que eu sinta que aquela minha opção não passa de uma utopia rídicula, como tropeçar num pote de moedas de ouro no fundo de um arco- íris. A maioria dos homens tenta agradar-me com erudição, com literatura e filmes de autor. Ele é o único que sabe que eu não sou nenhuma intelectual, que me aborreço com facilidade de tudo, mesmo das coisas geniais devido à minha escassa capacidade de concentração, ele é o único que me entendeu por debaixo de todas as camadas de superficialidade e sofisticação que tive de criar. E assim, após algum tempo sem falarmos, é capaz de me derreter com uma simples mensagem onde diz "está a dar um porquinho chamado babe na tvi". Todas aquelas muralhas de ódio cimentadas a raiva, todo aquele desprezo alimentado a memórias más dilui-se na doçura de uma compreensão mútua. O truque foi sempre entenderes-me, mesmo quando eu não queria que o fizesses.

4 comentários:

Anónimo disse...

Infelizmente, quando já encontramos «quela pessoa» e perdemo-la, acontecem coisas assim.

Mariam disse...

Basicamente, ele está a passar pelo mesmo.

Inês disse...

identifico-me tanto com a forma como escreves. Com a própria maneira de ser que me pareces ter..no fundo, venho aqui alimentar o meu ego, porque te acho genial. E porque me acho parecida. De resto, sou extremamente masoquista (sempre fui, com tudo) porque me frustra saber-te estupidamente triste. Mas pronto, o amor é assim, arrebatador.

Anónimo disse...

Não é o que ele diz. Não é o que ele faz. É o que ele representa. Se te tivesse dito que estava a dar a Laranja Mecanica, era a mesma coisa.

(gata branca)