segunda-feira, 28 de maio de 2012

...

De "x" em "x" tempo passa-me pela cabeça largar tudo e fugir  assim para longe, tipo Espanha. A sério, muitas vezes não consigo dormir e penso que devia fazer uma mochila e apanhar o primeiro comboio em Santa Apolónia que me tirasse deste país onde os Ídolos cantam mal, onde houve uma revolução e continuam a existir casos com escutas, onde o maior assassino dos últimos tempos é o Rei Ghob, onde a vida sexual média é tão deprimente ao ponto de se espalhar um video onde o Castelo Branco tem relações com  um gordo e com uma gorda. Mas depois penso que se há algum sítio no mundo onde poderei ser feliz, esse sítio é Portugal. O sítio onde alguém morre e passada uma hora já há uma anedota, o país das inovações tipo gelado de bacalhau e pastel de nata de queijo, das galas no Coliseu onde mais de metade dos nomeados não aparecem, do Goucha, da revista Maria, do maior centro comercial da península ibérica e da maior feijoada do mundo. Se há um sítio no mundo onde alguém como eu pode ser feliz é em Portugal, onde as pessoas não se levam demasiado a sério e assim, penduram a cueca esburacada no estendal da cozinha, mesmo virado para a rua principal da localidade e voltam para dentro a assobiar um fado.

1 comentário:

Sara disse...

Brilliant! :) Subscrevo e adoro a descrição.