sábado, 5 de maio de 2012

...

Depois de um grande passeio repensei o último post. Posso sentir-me mal pela situação e posso sentir-me mal, cumulativamente,  por lidar pessimamente com a situação. Não posso fazer nada quanto à primeira coisa mas posso fazer algo quanto à segunda. Cheguei a casa e em vez do ódio e raiva que normalmente destilava sobre ele, escrevi-lhe as coisas que realmente sentia, aquilo que ficava depois de limpa a lama e a alma. O facto é que gosto dele, embora nem sempre o demonstre da melhor forma porque me faltam aptidões, a verdade é que ele foi a única pessoa de quem gostei e isso não foi por acaso. Ele é especial. Único. E disse-lhe isso, lamentei o que tinha de lamentar, pedi desculpa pelo histerismo, pelas acusações, pela atribuição de culpas. Gosto dele, mesmo na dor e na separação. Despedi-me com um beijo sincero e com a promessa que hoje começava uma página em branco. Mesmo que o nome dele torne a aparecer, da minha parte, não vou atrás ver o que ficou rasurado. Sinto que é a primeira noite que vou dormir em mês e meio, perdi o medo do futuro.

4 comentários:

Anónimo disse...

Gostei tanto de ler isto: «Posso sentir-me mal pela situação e posso sentir-me mal, cumulativamente, por lidar pessimamente com a situação. Não posso fazer nada quanto à primeira coisa mas posso fazer algo quanto à segunda.» Estou a passar pelo mesmo, mas ainda não tinha pensado nestes termos. Ajudou-me. Obrigada.

As minhas africanisses disse...

Adorei o que escreveu- Foi um acto de coragem dizer tudo o que sentia. Espero que tudo corra pelo melhor!

Anónimo disse...

Estou a passar pelo mesmo, mas um pouco mais recente. Obrigado pelo post...ainda nao é hoje que vou dormir bem, mas uma noite destas quem sabe...

Lia disse...

Como eu gostava de poder fazer o mesmo... Mas ainda não ganhei a coragem necessária para ter essa "página em branco".