quarta-feira, 25 de abril de 2012

...

Durante tanto tempo andei armada até aos dentes - melhor até à raiz dos cabelos - contra a tristeza. Achei que se lhe oferecesse resistência e elaborasse planos de complexidade variada para a combater ou eliminar as razões causadoras, o sucesso seria inevitável. A verdade é que vi-a a agravar-se a olhos vistos, à medida que ia acumulando falhanços nas tentativas ensaiadas e empreendidas. É absurdo o efeito destruidor que tem arranjar-se forças para se enfrentar mais um dia naquele pressuposto que vai correr melhor do que o anterior, chegar ao fim e não, foi igual ou pior. Não há optimismo que sobreviva a isto constantemente, dia após dia, apesar da mais pura das boas - vontades, sorrisos amarelos arrancados sabe-se lá de onde, perseverança e mantras. Desculpem metam lá o Segredo pelo rabo acima, eu estou farta de guerrilhas. A única coisa que quero fazer com a minha tristeza de agora em diante é aceitá-la.

6 comentários:

Anónimo disse...

Como eu te entendo..ando nisso há tanto tempo... :( *

Paula Freitas Ferreira disse...

http://desteladodarua.blogspot.pt/2010/10/entretanto.html

Aceitar. Apenas isso.

Anónimo disse...

Nem mais. Sinto o mesmo e também já concluí que não dá para estar alegre 24 horas por dia, por mais que tenhamos consciência das coisas boas que a nossa vida tem e de que há tantas coisas más que, graças a seja o que for, ainda por aqui não andaram a fazer estragos. Há momentos em que temos de aceitar que estamos tristes, que, apesar de tudo, nem tudo está bem e que a alma, por vezes, se deixa vergar perante algumas amarguras. Assim é, sem dúvida.

Márcia disse...

Ao ler teu texto lembrei-me de uma canção de Tom Jobim "Felicidade" em que ele diz: " tristeza não tem fim, felicidade sim". A tristeza existe para ser sentido, não há sentido em relutar e não senti-la.É um momento para se estar consigo.Não o que temer,pois na vida tudo deve ser sentido.

Johnny Guitar disse...

Se a tristeza for tua, senta-a no meio da rua.

Mariam disse...

Essa gastroentrite veio também por isso. As doenças orgânicas apanham-nos quando estamos tristes. O mês passado estive tão triste, como há muito não sabia o que era estar, e fiquei com gripe.

Aceitar é, talvez, o primeiro passo para acabar com a tristeza.

As melhoras, de tudo. Adoro este blog.