domingo, 8 de abril de 2012

...

Estou oficialmente à procura de casa. Quando anunciei isto cá pelos meus, ao almoço do Domingo passado, a minha avó reagiu com alguma perplexidade por eu não esperar por um homem que me ame o suficiente para «me montar uma casa». Há muito que desisti de explicar a esta minha avó que actualmente as senhoras não passam o dia em casa a coser a meias furadas pela unhaca grande do marido. Também não vale a pena explicar, logo nunca tentei, do que o que eu preciso na realidade é de um homem que me ame o suficiente para me aturar, não de um que me pague a renda. As pessoas substimam-me com alguma facilidade apercebi-me entretanto, levantam as questões mais absurdas acerca da minha subsistência que vão desde ao «mas não vais ter medo de ficar sozinha de noite» ao «vê lá se isso não é uma reacção nervosa ao que aconteceu recentemente...». A resposta para ambas é sim, na verdade não são nada absurdas. Mais do que pagar as contas que vão aparecer na caixa do correio todos os meses, o passo mestre desta nova fase da maturidade é mesmo saber que vou ter medo em algumas noites de estar sozinha e admitir que esta peremptoriedade súbita deve-se ao facto de ter assistido no presente a uma repetição do meu passado e de ter a necessidade de construir algo sozinha, ter algo meu, algo que mesmo que tudo volte a estar em cima da mesa, lhe mostre que eu era capaz de seguir sem ele. Custosa mas capaz.

8 comentários:

Sofia disse...

Experiência própria, morar sozinha é das melhores coisas do mundo. Sim, há noites que terás frio nos pés, mas a liberdade e o prazer de abrires a porta para o teu pequeno mundo apenas a quem queiras suplanta isso. E não tenhas medo de ficar sozinha de noite. Abre uma garrafa de vinho, navega, lê, descansa. Vais ver que a noite é amiga. Ah, e vou copiar um trecho do teu blog, do qual gosto muito. Mesmo, sem lisonjas.

Timido disse...

Tenho um apartamento para arrendar, se quiseres...
Mas sim, acho que fazes muito bem... Não há nada que estimule mais o nosso sentido prático que morar sozinho... Eu estive 2 anitos a morar sozinho antes de me cruzar com a minha mulher e foi óptimo... Claro que cada coisa tem o seu tempo, e não trocava o que tenho agora por nada deste mundo...

RBM disse...

À vontade Sofia ;)

RBM disse...

Ah e timido, onde é a casa?

Anónimo disse...

Eu chamo à minha casa o meu casulo, sim porque, quando me "obrigaram" a ir morar sozinha era uma lagarta assustada, mas o meu pequeno casulo ajudou -me a transformar-me numa bela borboleta. Para mim não há maior prazer que é chegar a minha casa, ao meu porto de abrigo, e a liberdade que é podermos ter a NOSSA casa é libertadora. Por isso força.

Timido disse...

É no Algueirão...
Não é nenhum palácio, mas é num sitio bastante calmo e próximo de tudo...
Manda-me o teu mail que eu envio-te um link com as fotos...

Quero só salientar que não comentei pela publicidade... comentei porque é mesmo uma experiência fantástica e que acho que toda a gente devia viver...

RBM disse...

oh obrigada, mas no algueirao é um bocado longe, queria mais perto do centro.

Kitty * disse...

A altura em que me custa mais é quando acordo a meio da noite com um pesadelo sangrento e não tenho ninguém em quem me enroscar.