quarta-feira, 21 de março de 2012

...

Lembrei-me há pouco, ao ver de novo a publicidade dos Ídolos, que o Tony Carreira veio substituir o lugar que anteriormente era ocupado pelo Marco Paulo. As pessoas culparam o declínio pela inexistência dos caracóis, Marco Paulo sem caracóis não é Marco Paulo. Contudo, a verdade é que o nicho- alvo recusou a tentativa de modernização de Marco Paulo à música romântica "moderna", numa era onde as permanentes deixaram de ser sexy porque já havia um sucedâneo. Um tipo mais novo, com uns ligeiros dentinhos à mentiroso (e dizem as más línguas com implantes capilares) que nas suas camisas de cetim, aborda o amor de forma ainda mais sentida, apaixonada, sem ir à brejeirice. O Tony teve sobre o Marco o mesmo efeito que a Madonna teve sobre a Debbie Harry. Toda a gente reconhece que foi uma grande coisa, mas é isso mesmo, já foi. Contudo, penso que grande parte das decepções amorosas e expectativas frustradas femininas deixariam de existir se nós mulheres deixássemos de acreditar em homens machucados pela falta de amor e carinho e  tomássemos como certo que a única coisa que eles definitivamente procuram é a tal que seja uma lady à mesa e uma louca na cama.

Tudo o resto são detalhes.

Sem comentários: