domingo, 5 de fevereiro de 2012

Ser mulher é mais ou menos assim (um texto para homens sobre mulheres que não se conseguem livrar de uma peça de roupa que lhes faz mal)*

Preocupada com o frio matinal que se faz sentir, abre-se uma das três gavetas destinadas a "agasalhos".Depois de remexer tudo, numa lógica de "depois arrumo", encontra um cachecol XL de uma malha trabalhada de um jeito original. "Ah, mas é tão giro, mas porque é que ainda não usei isto este ano?", pergunta-se enquanto já se enrola o citado em não sei quantas voltas de forma a que só o nariz fique à mostra e o pescoço pareça então ter a grossura de uma pata de elefante bebé. Sai-se para rua, satisfeita, confortável, quente, bonita. Passados dez minutos, uma comichão nada discreta começa a aparecer por debaixo do cachecol, e quando depois de algumas coçadelas energéticas mas pouco eficazes encontra um espelho, consegue perceber que a sua pele de Branca de Neve está às manchas bordeaux. Conclui então, porque é que até aquela data, não se tinha lembrado da existência do acessório. Contudo e depois de uma manhã árdua onde para não andar com aquela porcaria a inflamar-lhe a pele, tem de carregar com ele na mala, num volume suspeito para quem anda a entrar e sair de lojas, chega a casa e perdoa o epísódio, ao observar mais uma vez a cor verde garrafa que fica estrondosamente bem com os pretos e cinzas reinantes no armário. "Ah, não o vou deitar fora, para a próxima uso-o assim por cima da camisola e do casaco e não faz mal".

* será este texto mesmo sobre um cachecol?

Sem comentários: