terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Natal

Há uns anos combinámos o nosso primeiro encontro num sábado à noite. Cheguei ao Príncipe Real com quarenta e cinco minutos de atraso, com o nervoso típico da situação mais um adicional pela vergonha daquele atraso parvo e injustificado que não, não foi planeado para criar mais expectativa e fazê-lo sofrer de antecipação. Do nervoso "de vamos ver como isto corre" passámos ao nervoso "ai que isto está a correr muito bem". De todas as noites que tive na minha vida - podia quantificá-las mas não estou para isso - aquela foi a única que qualifico como perfeita, como de filme charmoso que inspira quem vê a ser romântico, a atirar-se sem coletes de balas para os braços de outra pessoa com quem se sonha ficar para sempre.  Enquanto esperávamos numa escada por lugar sentado num bar, aconteceu aquilo e ele disse-me aquilo e aí sim, nesse momento a 27 de Dezembro daquele ano, amedrontada, deslumbrada, rendida, fiz a transição da mera existência para a vida. Nasci. Neste 27 de Dezembro não muito mudou, aqui estou amedrontada, deslumbrada, rendida, apaixonada por ti.

3 comentários:

Sofia disse...

Aconteceu aquilo e ele disse-te aquilo no primeiro encontro? Uau!

RBM disse...

Aí o Senhor Cupido não brincou em serviço, Sofia :)

Sofia disse...

...inveja...