terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Kryptonite

Há dois filmes - considerados verdadeiros clássicos - que eu nunca vi e dizia sempre que me recusaria a ver por falta do interesse minimo exigido. A revelação dos mesmos chocava especialmente os meus interlocutores do sexo masculino, que ficavam com a boca de lado como se tivessem padecido de uma ligeira trombose por terem tido contacto com uma pessoa que não viu o "Star Wars" e o "Alien". Percebia instantaneamente uma mudança de postura e percebia também que nunca mais levariam os meus gostos a sério mesmo que ficasse horas a falar do Kubrick, Hitchcock, Welles, Godard, Lynch, Bergman, Eisenstein ou Fellini. Contudo, ontem conseguiram destruir metade do dogma com a seguinte sugestão atirada subtilmente via sms « No Alien há um gatinho muito querido». E caso eu ainda não estivesse suficientemente cativada deram-me a estocada final «O Alien mata toda a gente mas não mata o gatinho. Ele não gosta de pessoas, só de animais. Faz-me lembrar alguém

Escuso de dizer o que já tenho aqui para ver.


Sem comentários: