quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Relógio Biológico III - O fim

Hoje falava com uma amiga minha que foi mãe de um lindíssimo rapagão há sete meses atrás. O bebé é um sonho - parece um Nenuco real, de olho azul esbugalhado, sempre sorridente e a cheirar bem. Tudo parece idílico até ela me confessar que desde o sexto mês de gestação que não veste mais nada além de calças de fato de treino. E que ainda tem onze quilos para perder dos vinte que engordou na gravidez. Numa fracção de segundos, "tia" tornou-se um grau de parentesco extremamente bonito.

Sem comentários: