quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Kafka ao Deitar

«...mas este sentimento de nulidade que se apodera tantas vezes de mim (sentimento esse que pode ser tão nobre e fecundo de outros pontos de vista, é verdade) deve ainda muito à tua influência. Ter-me-ia sido necessário um pouco de encorajamento, um pouco de gentileza, teria tido necessidade que desimpedissem um pouco o meu caminho, em vez de mo tapar, como fizeste, com a intenção louvável, é certo de me fazer optar por outro.».

 Carta ao Pai.

Sem comentários: