domingo, 2 de outubro de 2011

E o post anterior fez-me lembrar uma conversa mais desagradável que tive com um amigo meu que me disse que eu era altamente cínica relativamente às outras mulheres. Que via maldade em tudo. Na altura calei-me a sentir a pessoa mais intolerante do mundo. Hoje penso que aquele meu amigo fez comigo o que eu faço com as outras mulheres que critico - se eu as julgo pela facilidade com que dão os afectos e o resto, pela promiscuidade que para mim é um defeito moral, ele julgou-me pelo oposto, pela dificuldade e conservadorismo. Aparentemente estamos todos no direito de julgar, apenas umas coisas são politicamente correctas de serem apontadas em nome de uma suposta modernidade, outras não. "Ah és demasiado fácil" é feio de se dizer e sequer pensar, "ah essas tuas ideias acerca do sexo estão ultrapassadas" já não.

Sem comentários: