sábado, 1 de outubro de 2011

Depois de recentemente ter levado com mais um "chega para lá" jeitoso e educado, entrei naquele esquema viciado das presunções, enquanto saquei das inseguranças todas e lá me pus a questionar o "que teria eu de errado". As poucas pessoas com quem falei acerca do assunto, simpáticas, prestáveis e amigas do peito e gente de bem que são, rapidamente se precipitaram a encher-me o ego com os lugares comuns que a ocasião pede. O chorrilho - bem-vindo- de elogios vai desaguar na constatação final que o problema não é meu, é deles, raio dos homens que estão todos danificados ou são bebés de barba e carta de condução ou não sabem o que querem. Claro, penso eu todavia sem ser capaz de replicar para não desmoralizar a boa vontade dos meus interlocutores (temos ser bem educados até na miséria), isto acontece-me sempre, mas o problema não é meu, tem lógica, faz sentido. Então, aceito apostas:

1- Primeiramente, acham-me inteligente mas depois percebem que afinal não sou assim tanto e perdem o interesse;

2- Primeiramente, acham-me muito bonita mas depois têm mais tempo para olhar para mim e percebem que afinal não sou assim tão bonita e perdem o interesse;

3- Sou muito má na cama e perdem o interesse;

4-O problema não recai numa faceta da percepção deles mas está antes no meu lado - antecipo que ele é o homem errado e é isso que o faz certo para mim. A culpa é minha outra vez mas não por acção - só masoquismo emocional;

5 - Más impressões relacionadas com práticas deste género:


7 comentários:

Anónimo disse...

Se fores na realidade como és no blog, és deliciosa.

Eu leio-te e suspiro no fim, até já pensei que podes ser coxa ou muito estrábica e mesmo assim venho aqui dez vezes ao dia.

(a culpa é deles, confia em mim que não sou teu amigo e não tenho de dizer mentiras).

Piston disse...

5 - Todas as anteriores mais algumas que te conotem negativamente. Tem mesmo que ser culpa tua.

RBM disse...

pisto, a seguir ao 5 vem o 6.

hurray para o anónimo!

Piston disse...

Nem todos nascemos em berço de ouro, como tu. Alguns de nós não aprenderem a contar.

Sofia disse...

Adorei o post. Tal e qual o que sinto.

Sara disse...

Eu faço parte do tal grupo de gente amiga (e de bem, vá) que saca do chorrilho de elogios e portanto sou assumidamente parcial. No entanto, mesmo assumindo esta parcialidade, não me considero cegamente acrítica em relação áqueles de quem gosto, por isso recuso-me terminantemente a escolher qualquer uma das hipóteses nomeadas, simplesmente porque, conhecendo-te, não acredito que nenhuma delas se possa aplicar.

RBM disse...

É comum Sofia, podemos formar um clube, reunimos num clube de strip masculino e bebemos espumante até cair para o lado às sextas feiras a noite ou assim :)