terça-feira, 9 de agosto de 2011

Relief

Pensei durante imenso tempo que o desgosto causado pela minha separação tinha-me deixado inabilitada para qualquer hipótese de relacionamento amoroso que pudesse surgir. O trauma não só me deixou uma pessoa amarga, como céptica no respeitante aos outros mas principalmente quanto às minhas próprias capacidades de arriscar voltar a gostar. Descubro passado tanto tempo - mais do que deveria ter sido para alguém que se gaba tanto das suas qualidades perceptivas como eu - que afinal a experiência só me deixou temerária e destemida. Muito simples: pior do que aquilo nunca poderá ser; não ficou nada mais para se perder ou se partir. E agora sim, em vez do ressabiamento, do rancor mal disfarçado que sentia quando também me sentia fraca e debilitada, agradeço-lhe sinceramente por a longo prazo, me ter tornado muito mais forte, sem obviamente o querer. Não há melhor fim para este plot do que conseguir ser feliz depois dele.

1 comentário:

Sara disse...

"Não há melhor fim para este plot do que conseguir ser feliz depois dele". Não podia estar mais de acordo e não podia ficar mais feliz por ti! :) ***