sábado, 16 de julho de 2011

Rotina

Não tenho pensado muito em ti. Mas quando penso nisso - no facto de pensar cada vez menos em ti- apercebo-me que isso deixa-me muito mais triste, do que quando pensava ininterruptamente, e o resto das coisas não tinham sentido ou importância. Continuam a não ter, essa é a questão, se assim não fosse, nada disto importaria e eu poderia dizer que estava bem.

Sem comentários: