quarta-feira, 29 de junho de 2011

Paradoxos dos quais não gosto

Como explicar a atracção obscenamente atroz que uma pessoa, que nem sequer conhecemos mas  já detestamos, nos provoca?

Sem comentários: