segunda-feira, 20 de junho de 2011

Arrumei o Processo Penal, e vou para a cama ler "O Original de Laura" que pedi emprestado à Biblioteca do Palácio de Galveias. Em alguns livros de Nabokov (este é o terceiro que me lembro, os outros são o Ada e obviamente, o Lolita), aparece esta figura jovem púbere e putinha que leva a loucura sempre um bananão qualquer. Há sempre cenas de sexo, nada de explícito ou de mau gosto, mas com pequenos detalhes cirúrgicos que vê-se que foram pensados com especial deleite - são os "mamilos" e as "nádegas apertadas nos calções do montar" com mais requinte nesse mundo literário fora. Não consigo deixar de achar curioso a recorrência destes desvios de personalidade, das relações em que a disfuncionalidade se torna um eufemismo, a crueldade, o desespero, o cru, vindos de um homem cujo hobbie era a entomologia.

1 comentário:

Tolan disse...

ESSE É O GRAAANDE MISTÉRIO NABOKOV.
Porra, é. Nas entrevistas sempre composto a falar de ficção e tal e que se distancia totalmente... yeaahh right... às vezes acho que ele escrevia aquelas coisas porque não havia porn hub ou tiava ou pichunter naquele tempo.